Desvendando o mistério do currículo em inglês

Quem é vivo, sempre aparece! rs

Muita gente me pergunta nos comentários sobre o currículo em inglês e a carta de apresentação, então hoje vamos falar sobre um destes bichinhos que não têm 7 cabeças…

Antes de começar vocês precisam saber duas coisas sobre mim, um pouco pessoais:
1- sou super perfeccionista e atenta a detalhes
2- sou Psicóloga e trabalho com RH há muito tempo

Ou seja, além de já ter visto muitos currículos mal feitos por aí, sou chata com organização, padronização, formatação, etc.

Preparei um exemplo de currículo pra vocês, mais ou menos baseado no que eu usei pros programas da Disney e que eu uso na vida (é a mesma coisa, gente. Só traduzir). Vou explicar parte a parte pra não ter dúvidas.

A carta de apresentação ficará para um próximo post.

Aproveitem a consultoria gratuita! rs

A primeira coisa que se deve lembrar é que o currículo precisa ser simples, objetivo e informativo. Nada de fontes divertidas, cores e imagens; é um documento profissional.
Você também não precisa colocar tudo que já fez na vida, nem descrever suas experiências em detalhes (você terá uma entrevista inteira para fazer isso). Apresente conteúdo, mas com objetividade. Currículos de várias páginas e com textos enormes não são atrativos (e nós querermos que o recrutador se interesse por nós, certo?).

Também é legal que você crie um padrão de formatação e siga-o até o final. Ex: todos os títulos em negrito; todos os marcadores de tópico em bolinha, etc.
Quando não há uma padronização, passa-se a impressão de desleixo e desorganização.

É muito importante também que não tenha erros ortográficos. No caso do CV em inglês, revise trocentas vezes; se tiver dúvida, pesquise ou peça ajuda. Nunca – jamais! – envie um currículo com erros!

Vamos às seções:

Ao contrário do que muita gente pensa (e faz), não se coloca o título “Curriculum Vitae” no CV. Todo mundo sabe que aquilo é um currículo. O melhor e mais apropriado “título” é o seu nome. Não precisa ser numa fonte enorme, nem precisa colocar o nome completo, se não quiser. Basta o primeiro e o último.

Depois vêm os dados pessoais e de contato: email e telefone são imprescindíveis e, no caso da Disney, é importante colocar o código do país e da cidade antes do número de telefone.
Endereço não é importante (e nem seguro) colocar, mas não pode deixar de informar a cidade e o país em que se vive (se achar que deve, pode colocar o bairro também).
Vale lembrar que não se traduz nomes, então se você mora na Avenida Atlântica, você deve escrever exatamente assim, pois este é o nome da rua. É errado colocar Atlântica Avenue.

Também é válido informar o estado civil, se tiver filhos dizer quantos, etc. Essas últimas não são mandatórias, mas são informações que ajudam a te conhecer. O importante é não mentir. Nunca!

Aqui é simples: diga o curso, a instituição. Se já concluiu, diz quando foi. Se não, coloca a previsão de formatura. Nunca deixe sem data ou sem status. Quem lê o CV precisa saber se você já se formou, se está cursando, se está trancado…

De novo vale lembrar que não se traduz nomes, então você deve manter as palavras Universidade, Faculdade, Fundação caso elas façam parte do nome da sua instituição de ensino. Já o curso, é claro, deve ser colocado em inglês (senão ninguém vai saber o que você estudou 😉 )

Sempre coloque a experiência profissional em ordem decrescente, ou seja, da mais atual para a mais antiga.
Informe o nome da empresa, o cargo que ocupa/ocupou, o período em que trabalhou na empresa e as atividades que desenvolvia.
Você precisa ser claro nas informações. Não adianta colocar no cargo “Estagiário” ou “Analista”. Estagiário de que área? Analista de que?

Também não coloque somente o tempo em que ficou na empresa, como “2 anos e 7 meses”. Coloque o período e deixe que o recrutador faça as contas (dê trabalho, mas seja claro! rs). Ex: De Fev/2007 a Dez/2010.

Sempre descreva as atividades exercidas. Isso é muito importante! Colocar “Assistente Administrativo” não diz nada a quem lê. A pessoa precisa saber o que você faz, em que área trabalha, quais são seus conhecimentos e experiências. No entanto, faça isso de forma breve e objetiva, os detalhes ficam para a entrevista.

Se você não tiver nenhuma experiência profissional, não se desespere! Você pode pular essa seção, mas aí é legal que acrescente uma seção de “Objetivos” ou de “Apresentação” entre os dados pessoais e a formação acadêmica, dizendo que busca a entrada no mercado de trabalho, o ganho de experiências e descrevendo seus objetivos reais e sinceros.

Essa parte não é essencial, mas eu gosto de usar.
Pra quem vai aplicar para o segundo programa, é imprescindível que mencione o primeiro no currículo. Você pode colocar junto com as outras experiências profissionais ou em uma seção separada, como essa. A diferença é puramente estética e vai de acordo com a sua preferência. Só não deixe de colocar.

Aqui é legal pensar no seguinte: é claro que o recrutador da Disney sabe o que você fazia como Merchandising no Magic Kingdom, por exemplo. Mas não deixe de descrever suas atividades. Primeiro porque sempre vai variar dependendo da área ou loja em que você trabalhou. Segundo porque é legal que ele veja a visão que você teve da role. Terceiro porque é uma experiência como outra qualquer e deve ser apresentada profissionalmente no seu currículo.

Aqui é o espaço para apresentar outras coisas importantes sobre você, que não se encaixaram nos tópicos anteriores. Você pode colocar conhecimentos em informática, as línguas que você fala (e o nível de conhecimento), se fez alguma participação como ator em algum filme/comercial/peça de teatro, se tem algum conhecimento ou habilidade específicos, trabalhos voluntários e tudo o mais que for apropriado.

Por apropriado entendam “fatos que são relevantes profissionalmente e que se adequam ao cargo que você procura”. Aqui estamos falando de Disney, então uma experiência com organização de eventos, por exemplo, é relevante. Se você aplica para um cargo de Engenheiro, esse tipo de conhecimento não vai fazer diferença para a vaga, então não precisa estar no CV.

Eu espero que todos saibam – mas vou falar só por precaução – que administrar grupos de WhatsApp e comunidades do falecido Orkut não são nem nunca foram experiências consideradas profissionais ou relevantes para um CV. Ok? 🙂

Para finalizar, não precisa colocar data, assinatura, etc. Na verdade não precisa colocar nada. Quando bem organizadas, as seções do CV já deixam a entender que ele está acabando.

O ideal é que um CV tenha entre 1 e 2 páginas. No caso da Disney, 1 é suficiente. Se tem muito mais que isso, vale rever se as informações que estão nele são realmente relevantes e fundamentais.

Espero ter ajudado e já já trago informações sobre a carta de apresentação.

Anúncios

14 comentários sobre “Desvendando o mistério do currículo em inglês

      • Eu estou aprendendo agora a mexer com esse programa. Não conseguir achar as suas informações.
        Bom, sempre quis trabalhar na Disney e gostaria de uma orientação sua para saber como faço para trabalhar lá.
        Desde já agradeço pela orientação!
        Tem outro meio de comunicação que poderíamos falar?

        Bruna

  1. Boa noite, Deia, tudo certo?
    Li muito sobre as entrevistas, e a única coisa que me assusta é podem perguntar sobre pq trabalhar lá seria útil para sua carreira. Li diversas respostas pra diversos cursos, mas nunca consegui me encaixar. Trabalho\estudo bem estar\manejo de animais (de produção, silvestres, domésticos…). Desde que conheci o programa gostaria de trabalhar em Merchan ou Quick Service, mas não consigo relacionar meu curso com essas e nem com qualquer role oferecida. Mesmo que minha position fosse no Animal Kingdom, não sei o que poderia responder hahaha

    Enfim, qualquer sugestão e ideia é bem vinda. 🙂

    • Oi, Bianca. Tudo bem?

      Sua pergunta é super válida, mas tenta pensar de forma mais ampla: vc não precisa relacionar o trabalho ao seu curso e sim à vida profissional.
      É certo que a experiência na Disney vai te ajudar a lidar com pessoas, a trabalhar em equipe, a resolver problemas, a encantar teu cliente…
      Isso tudo vale pra qualquer área. Acho que é uma boa forma de explorar a resposta 🙂

      Boa sorte!!!

  2. Deia, boa tarde. Tudo bem? Espero que sim.
    Também sou psicóloga, trabalho com RH há mais de 5 anos e meu sonho da vida é trabalhar na Disney.
    Dei uma pesquisada no site de intercâmbio e vi que todas as oportunidades são voltados para alunos de faculdade.
    Eu já sou formada, pós-graduada, tenho 31 anos e casada.
    Gostaria de saber se existe algum programa que atenda o meu perfil? Cso não tenha, existiria alguma outra forma de realizar o meu sonho?

    Abs.,

    Gabriela Medina

      • Oi Andreia, tudo bom?
        Primeiramente, parabéns pelo site e pelas dicas!
        Estou com a mesma ideia da Gabriela. Tenho 26 anos, sou recém formado em ADM e meu maior sonho é também ter uma experiência na Disney.
        Estou pensando em fazer um curso “rápido” voltado a turismo justamente para tentar uma vaga lá de ICP, pois parece que em 2015 a Disney tirou o pré requisito de o candidato estar cursando uma faculdade com duração de 4 anos.
        Existe essa possibilidade?

        Grande abraço

      • Oi, Caio.
        Muito obrigada! Que bom que gostou do site 🙂
        Olha, pra ser sincera eu nem sabia desse requisito. Quando eu fiz ICP não tinha isso, pois lembro que tinha gente que fazia cursos de duração mais curta. Eu acho é que não podia ser tecnólogo, tinha que ser graduação. E precisava estar entre o segundo e o penúltimo períodos.
        Mas sinceramente não sei como está agora. Dá uma olhada no site da STB ou liga pra lá. Eles são sempre muito atenciosos.
        Boa sorte!

  3. Ei, Deia!
    Seu blog tá me ajudando muuuuito e estou pensando seriamente em me inscrever pro ICP. Tenho 18 anos e gostaria de saber sua opinião em fazer o programa agora ou adiar um pouquinho, já que a maioridade lá é de 21 anos.

    Beijão e obrigada por tudo!

    • Oi, Luiza.
      Olha, pra ser sincera, a única diferença de fazer com menos ou mais de 21 anos é em relação à bebida alcoólica.
      Vc precisa considerar se isso vai fazer diferença pra vc ou não.
      Hoje em dia também existe a facilidade de poder fazer o ICP mais de uma vez (na minha época não podia rs), então vc pode ter as duas experiências.
      Mas tirando o consumo do álcool, ter menos de 21 não vai influenciar em mais nada!

  4. Oi Déia! Estou aplicando para o programa desse ano e minha palestra é dia 29 agora, em SP. Gostaria de saber se você poderia dar uma olhada no meu currículo, que fiz com base nas informações que você postou aqui haahha Obrigada 😀

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s